terça-feira, 22 de maio de 2007

MAMÃE... faltava tão pouco!

CARTA DE UM BEBÊ À SUA MÃE.

Oi mamãe, tudo bom?
Eu estou bem, graças a Deus! Faz apenas alguns dias que você me concebeu em sua barriguinha. Na verdade, não posso explicar como estou feliz em saber que você será minha mamãe e me enche de orgulho ver o amor com que fui concebido. Tudo parece indicar que eu seria a criança mais feliz do mundo! Mamãe, já passou um mês desde que fui concebido e já começo a ver como o meu corpinho começa a se formar. Quer dizer, não estou tão lindo como você, mas me dê uma oportunidade! Estou muito feliz! Mas tem algo que me deixa preocupado... Ultimamente me dei conta de que há algo na sua cabeça que não me deixa dormir; mas tudo bem, isso vai passar, não se desespere. Mamãe, já passaram dois meses e meio, estou muito feliz com minhas novas mãos e tenho vontade de usá-las para brincar... Mamãezinha, me diga, o que foi? Por que você chora tanto todas as noites? Por que quando você e o papai se encontram, gritam tanto um com o outro? Vocês não me querem mais ou o quê? Vou fazer o possível para que me queiram... Já passaram três meses, mamãe, te noto muito deprimida, não entendo o que está acontecendo, estou muito confuso. Hoje de manhã fomos ao médico e ele marcou uma visita amanhã. Não entendo, eu me sinto muito bem... por acaso você se sente mal mamãe? Mamãe, já é dia, aonde vamos? O que está acontecendo mamãe? Por que choras? Não chore, não vai acontecer nada... Mamãe não se deite, ainda são 2 horas da tarde. Não tenho sono, quero continuar brincando com minhas mãozinhas. Ei! O que esse tubinho está fazendo na minha casinha? É um brinquedo novo? Olha! Ei, por que estão sugando minha casa? Mamãe! Espere, essa é minha mãozinha! Moço, por que a arrancou? Não vê que me machuca? Mamãe, me defenda! Mamãe, me ajude! Não vê que ainda sou muito pequeno para me defender sozinho? Mãe, a minha perninha, estão arrancando. Diga para eles pararem, prometo que eu vou me comportar bem e não vou mais te chutar. Como é possível que um ser humano possa fazer isso comigo? Ele vai ver só quando eu for grande e forte... Ai! Mamãe, já não consigo mais...a´! Mamãe, mamãe, me ajude... Mamãe, já se passaram 17 anos desde aquele dia, e eu, daqui de cima, observo como ainda te machuca ter tomado aquela decisão. Por favor, não chore!
Lembre-se que te amo muito e estarei aqui te esperando com muitos abraços e beijos.

SEU BEBÊ

- Extraído do jornal Informe Congregacional, maio, 2007,nº 25.

Breve comentário: Esta carta, tão bem escrita por um bebê anônimo, deveria ser lida por todos quantos são favoráveis ao aborto. Deve ser enviada para outras pessoas que, por um motivo ou outro, se deparam com essa dúvida terrível. Os Senhores congressistas, deveriam lê-la,e, se possível tirarem a máscara da crueldade e votarem contra todos os projetos que possam levar à matança indiscriminada de inocentes que não têm como se defender.
Como é triste ver que por causa de um voto, alguém possa se transformar em mais um assassino protegido pela triste capa da lei!
Que Deus possa iluminar essas mentes tacanhas e perversas.


























Nenhum comentário: