domingo, 5 de agosto de 2007

RENAN - 10 A ZERO NO POVO


">
Mais denúncias contra RenanRedação O Estado do Paraná [05/08/2007]
Foto: Agência Senado
Renan: dinheiro vivo. A revista Veja, em reportagem da edição desta semana, traz novas denúncias contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Investigado pelo Conselho de Ética da Casa por supostamente ter utilizado recursos da empresa Mendes Júnior, via lobista, para pagar despesas pessoais, Calheiros é, agora, acusado de ser sócio oculto de uma empresa de comunicação em Alagoas. Ele teria usado laranjas e pago R$ 1,3 milhão em dinheiro vivo, para ser um dos sócios de duas emissoras de rádio em Alagoas, que valem cerca de R$ 2,5 milhões.
Segundo a revista, o senador, até 2005, também era sócio de um jornal diário cujo valor é de R$ 3 milhões. A Veja publicou documentos que mostrariam como o senador criou uma empresa de comunicação e incorporou emissoras de rádio sem o conhecimento da Receita Federal, da Justiça Eleitoral e do Congresso Nacional. A reportagem informou que Renan Calheiros comprou, no final de 1998, em sociedade com o usineiro João Lyra, sogro de Pedro Collor, o grupo O Jornal, que detinha a concessão de uma rádio, a atual Rádio Correio, e o segundo jornal mais lido do estado, O Jornal.
Pelo grupo, cada sócio teria pago R$ 1,3 milhão, mais do que o patrimônio total que ele declarava possuir à época. Como Calheiros não tinha todo o dinheiro disponível no momento, o próprio usineiro lhe emprestaria 700.000 reais, quantia que o senador saldaria em parcelas mensais, pagas, segundo a Veja, em remessas em dinheiro vivo, através de um assessor legislativo. A sociedade entre Calheiros e Lyra acabou desfeita, ficando, o usineiro, com o jornal e Renan com as emissoras de rádio, que, segundo a Veja, seriam administradas por um filho e um primo do senador, entre outros.

Nenhum comentário: