sábado, 29 de novembro de 2008

HISTÓRIA DAS RELIGIÕES

Últimas Palavras de Grandes Homens - Alexander Seibel



Praticamente nada é mais esclarecedor do que o testemunho de moribundos. Mesmo mentirosos confessam então a verdade. Um olhar para o leito de morte revela muitas vezes mais dos que todas as grandes palavras e obras em tempo de vida. No momento em que pessoas se vêem confrontadas com a morte, muitas perdem suas máscaras e tornam-se verdadeiras. Muitos tiveram que reconhecer que edificaram sobre a areia, se entregaram a uma ilusão e seguiram a uma grande mentira.

Aldous Ruxley escreve no prefácio do seu livro "Admirável Mundo Novo", que se deveria avaliar todas as coisas como se estivessem sendo vistas do leito de morte.

"Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio" ( Sl 90:12 ), diz a Bíblia.

Voltaire, o famoso zombador, teve um fim terrível. Sua enfermeira disse! Durante toda a noite ele gritou por perdão.

David Hume, o ateu, gritou: "Estou nas chamas!" Seu desespero foi uma cena trerrível.

Heinrich Heine, o grande zombador, arrependeu-se posteriormente.. Ao final da vida, ele ainda escreveu a poesia:" Destruída está a velha lira, na rocha que se chama Cristo! A lira que para a má comemoração, era movimentada pelo inimigo mau. A lira que soava para a rebelião, que cantava dúvidas, zombarias e apostasias, Senhor, Senhor, eu me ajoelho, perdoa, perdoa minhas canções!

De Napoleão escreveu seu médico pareticular: " O Imperador morre solitário e abandonado. Sua luta de morte é terrível.

Cesare Borgia, um estadista: "Tomei providências para tudo no decorrer de minha vida, somente não para a morte e agora tenho que morrer completamente despreparado."

Talleyrand: "Sofro os tormentos dos perdidos.

Carlos IX ( França ): " Estou perdido, reconheço-o claramente.

Mazarino: " Alma, que será de ti?"

Hobbes, um filósofo inglês:"Estou diante de um terrível salto nas trevas."

Sir Thomas Scott, o antigo presidente da Câmara Alta inglesa: "Até este momento, pensei que não havia nem Deus, nem inferno. Agora sei e sinto que ambos existem e estou entregue à destruição pelo justo juízo do Todo-Poderoso.

Goethe"Mais luz!"

Nietzsche: "Se realmente existe um Deus vivo, sou o mais miserável dos homens."

Lênin morreu em confusão mental. Ele pediu pelo perdão dos seus pecados a mesas e cadeiras.

A nossa juventude revolucionária se assegura insistentemente e em alta voz, que isso não é verdade. Pois seria desagradável, ter que admitir que o ídolo de milhões se derrubou a si mesmo de maneira tão evidente.

Nenhum comentário: