sábado, 13 de dezembro de 2008

O ÓLEO DE UNÇÃO.

O ÓLEO DE UNÇÃO
TIRANDO O PODER DO SACRIFÍCIO DE JESUS CRISTO
Graças a Deus estou bem e de volta às minhas atividades normais. Gostaria de agradecer a todos aqueles que enviaram mensagens e estiveram orando por mim durante este período em que estive sendo tratado não apenas por médicos, mas pelos cuidados de nosso Pai que está nos céus.
Devo contar que não tive nenhuma visão sobrenatural, nem mesmo quando sob o forte efeito da anestesia... mas Deus falou comigo através do Espírito Santo que habita dentro de cada um que aceita a Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador. Tive alguns (poucos) momentos de profundo incômodo durante minha internação e a melhor coisa que eu poderia fazer era orar. Foi uma noite inteira sofrendo pelo incômodo de um colchão duro como madeira, cujo sono não conciliava e, na intenção de encontrar uma posição mais cômoda, meus cotovelos já estavam em carne viva... mas então lembrei que aquele momento de pouca mobilidade era passageiro, que em breve as coisas estariam resolvidas... e comecei a agradecer a Deus por poder ver que a solução de meu pequeno incômodo estava muito próxima. Pela primeira vez na vida eu confirmei que praguejar de nada adianta, e que melhor é depositar as esperanças e sofrimentos nas mãos do Senhor. Não pude deixar de pensar naquelas pessoas que estão definitivamente inválidas, com escaras no corpo... se uma noite me fez sofrer, imaginei uma vida inteira! Como eu poderia deixar de agradecer a Deus por minha condição ser apenas passageira? Como, depois disso, eu poderia esquecer e deixar de me preocupar com os inválidos?
Essa preocupação me fez pesquisar o assunto e hoje, quase 100% normal, arrumei uma forma de transcrever um pouco das revelações que me tive após a leitura de alguns trechos da Bíblia e que têm tudo a ver com o costume de usar “óleo de unção” para tudo: curar doentes, expulsar demônios... será que nós, crentes modernos, não estaríamos criando uma espécie de “água benta evangélica”? Estaríamos nos colocando nossa fé em um objeto ao invés de depositá-la n’Aquele que é o único realmente capaz de operar milagres através de Sua graça?
Não estou sendo o primeiro a tocar deste assunto e antes de qualquer coisa devo referenciar o estudo feito por Walter Andrade Campelo, feito com propriedade e base bíblica correta e aceitável.
UNÇÃO DE SANTIFICAÇÃO?
Depois de muito ler livros de “batalha espiritual”, eu estava começando a crer no óleo, principalmente diante dos textos altamente recomendado por esses autores, que se encontram em Êxodo 30:22-33 (o azeite da santa unção) e Êxodo 40:1-16 (o estabelecimento do tabernáculo):
“Assim santificarás estas coisas, para que sejam santíssimas; tudo o que tocar nela será santo. Também ungirás a Arão e seus filhos, e os santificará para me administrarem o sacerdócio.” (Êxodo 30:29-30)
“Então tomarás o azeite da unção e ungirás o tabernáculo, e tudo o que há nele; e o santificarás com todos os seus pertences, e será santo. Ungirás também o altar do holocausto, e todos os seus utensílios; e santificará o altar; e o altar será santíssimo. Então ungirás a pia e a sua base, e a santificarás. Farás chegar também a Arão e a seus filhos à porta da tenda da congregação; e os lavarás com água. E vestirás a Arão as vestes santas, e o ungirás, e o santificarás, para que me administre o sacerdócio. Também fará chegar a seus filhos e lhes vestirás as túnicas, e os ungirás como ungiste a seu pai, para que me administrem o sacerdócio, e a sua unção lhes será por sacerdócio perpétuo nas suas gerações.” (Êxodo 40:9-15)
Uma metodologia bastante correta... de acordo com a lei! E aí está o grande problema! A Bíblia não pode ter sua cronologia ignorada e todas essas recomendações de procedimentos para santificação encontram um ponto final diante desse importantíssimo texto:
“Porque tendo a lei sombra dos bens futuros e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a ele se chegam. Doutra maneira, teriam deixado de se oferecer, porque, purificados uma vez os ministrantes, nunca mais teriam consciência de pecado. Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados, porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste; Holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram. Então disse: Eis aqui venho (no princípio do livro está escrito de mim), para fazer, ó Deus, a tua vontade. Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei). Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro para estabelecer o segundo. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés. Porque, com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. E também o Espírito Santo no-lo testifica; porque depois de haver dito: Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações e as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades. Ora, onde há remissão destes, já não mais oblação pelo pecado. Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa. Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.” (Hebreus 10:1-23)
Que interessante! De acordo com o texto acima podemos concluir que:
• O sacrifício de Cristo na cruz foi feito apenas uma única vez. Esse texto explica claramente que os sacrifícios do velho pacto (como, por exemplo, os relatados nos capítulos de 1 a 5 do livro de Levítico) não eram eficazes e muito menos agradavam a Deus (versos 6, 8 e 11)
• Jesus Cristo é o grande sacerdote sobre a casa de Deus e, através de seu sacrifício único, nos santifica (versos 10 e 12-18), aperfeiçoando dessa forma as leis que deveriam ser cumpridas no Antigo Testamento.
Então, como posso eu depender de um tipo de óleo para santificar algo depois de conhecer essa verdade? Quem nos santifica é somente nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e isto está diretamente relacionado a outro fator importantíssimo, que faz parte do “legado” deixado por Ele. Vejam:
“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.” (João 7:37-39)
A afirmação que faço a seguir é bastante chocante, mas, baseado no texto acima, posso afirmar então que nenhum dos grandes personagens do Antigo Testamento teve uma experiência tão íntima com Deus quanto qualquer um que tenha nascido depois da glorificação de Jesus Cristo. Mesmo Moisés, que conheceu ao Senhor Face a Face (Êxodo 33:11; Números 12:7-8; Deuteronômio 34:10) não teve uma experiência conforme a descrita em Romanos 8:26-27.
Esse parágrafo é especulativo, mas eu penso que essa é a melhor explicação para o sangue nos umbrais de Êxodo 12, pois tal sinal se fez necessário para o reconhecimento de quem iria ser salvo ou não... afinal, ninguém ali tinha o Espírito Santo!
Os poucos personagens do Antigo Testamento que chegaram a ter um contato mais próximo com a experiência do Espírito Santo: ou foram escolhidos diretamente pelo próprio Deus, ou tiveram uma experiência momentânea ou então tiveram que ser ungidos para isto! Veja alguns dentre muitos exemplos:
• Bezalel (escolhido por Deus) – Êxodo 31:2-3; Êxodo 35:31.
• Eldade e Medade (momento) – Números 11:26. O fato da maioria do povo não ter o Espírito de Deus é confirmado em Números 11:29.
• Josué (ungido por imposição de mãos) – Deuteronômio 34:9.
• Otniel (momento) – Juízes 3:9-11.
• Sansão (vários momentos) – Juízes 13:25; Juízes 14:6 e 19; Juízes 15:14.
• Saul (ungido) – I Samuel 10:1-7; I Samuel 11:6. Esse, mesmo ungido, fez tanta besteira que o Espírito do Senhor acabou se retirando dele (I Samuel 16:14).
• Davi (ungido) – I Samuel 16:13; II Samuel 2:4.
Eu poderia fazer uma lista mais extensa que esta com mais personagens do Antigo Testamento que puderam ter uma “provinha” da presença do Espírito do Senhor, mas sugiro que leiam o estudo de Walter Andrade Campelo para compreender quem exatamente eram as pessoas ungidas naquela época, assim como as funções do óleo. Mas mesmo nestes exemplos podemos ver que o mesmo Espírito gerava capacidades bastante diversas entre si.
Se esses homens, apenas ao “esbarrar” com o Espírito, fizeram acontecer eventos incríveis, imagine agora o que podem fazer aqueles em quem o Espírito habita? Sim! Habitar é algo perene... é conviver a cada instante com Ele. Essa informação é confirmada através dos textos de João 14:15-17 e 26 (“... habita convosco, e estará em vós”); I Coríntios 3:16; Efésios 2:22 e II Timóteo 1:14.
Acho que a maioria daqueles que está lendo este texto até aqui sabe muito bem o que deve fazer para receber o Espírito Santo, mas não me custa nada citar João 20:22, Atos 1:8, Atos 2:38, Atos 8:15-17, I Coríntios 6:19, Gálatas 3:14... afinal, estes são métodos comprovados para “ganhar” este “presente” deixado para nós pelo próprio Jesus Cristo.
Um alerta! Há muita gente por aí pensando que está cheia do Espírito Santo e, na verdade, estão agindo exatamente contra o texto de Colossenses 2:8; esquecendo Romanos 8:4-11, I Tessalonicenses 4:2-8, I Timóteo 4:1-2 e Tiago 4:4-5; esperando e aceitando tudo o que está descrito em II Tessalonicenses 2:3-12... sequer se preocupando em aplicar I João 4:1-3 ou tentando observar o tipo de resultados da ação desse espírito dentro do previsto em Gálatas 5:19-23. Estes certamente não devem se agradar nem um pouco das coisas que tenho escrito nos últimos tempos. Não posso deixar de registrar que me entristeço ao encontrar tantos líderes agindo conforme I Timóteo 6:3-5, II Timóteo 4:3-4 e se adequando cada vez mais às profecias de Isaías 56:8-12 e Ezequiel 34:1-10... são justamente esse líderes que mais gostam de usar as coisas “bentas” como, por exemplo, flores, lenços, água e, é claro, o óleo!
A única conclusão a qual posso chegar nesta primeira seção é:
UTILIZAR ÓLEO COM O OBJETIVO DE SANTIFICAR QUALQUER COISA
É NEGAR DIRETAMENTE O SACRIFÍCIO DE JESUS CRISTO NA CRUZ:
USE SUA ORAÇÃO E, COM MUITO CUIDADO, A IMPOSIÇÃO DE MÃOS.
Recomendo cuidado com a imposição de mãos baseado no texto de I Timóteo 5:22. Não saia por aí deixando que qualquer maluco coloque as mãos em sua cabeça... ainda mais se não souber verdadeiramente se o “vaso” tem rachaduras ou não!
ARTIGO DE TEÓPHILO NOTURNO.

Um comentário:

Teóphilo disse...

Legal encontrar um texto meu por aqui!
Mas acho que você não sabe que o site está atualizado e eu já tenho até um blog... apareça! Venha visitar e comentar!

http://teophilo.blogspot.com
http://teophilo.info

Um abraço!