quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

INFO Online - Baixa definição - Blog de Felipe Zmoginski

INFO Online - Baixa definição - Blog de Felipe Zmoginski

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

RETRATO DE JESUS


Sabendo que desejas conhecer quanto vou narrar, existindo nos nossos tempos um homem, o qual vive atualmente de grandes virtudes, chamado Jesus, que pelo povo é inculcado o profeta da verdade, e os seus discípulos dizem que é o filho de Deus, criador do céu e da terra e de todas as coisas que nela se acham e que nela tenham estado; em verdade, ó César, a cada dia se ouvem coisas maravilhosas desse Jesus: ressuscita os mortos, cura os enfermos, em uma só palavra: é um homem de justa estatura e é muito belo no aspecto, e há tanta majestade no rosto, que aqueles que o veem são forçados a amá-lo ou temê-lo. Tem os cabelos da cor da amêndoa bem madura, são distendidos até as orelhas, e das orelhas até as espáduas, são da cor da terra, porém mais reluzentes.

Tem no meio de sua fronte uma linha separando os cabelos, na forma em uso nos nazarenos, o seu rosto, é cheio, o aspecto é muito sereno, nenhuma ruga ou mancha se veem em sua face, de uma cor moderada; o nariz e a boca são irrepreensíveis.

A barba é espessa, mas semelhante aos cabelos, não muito longa, mas separada pelo meio, seu olhar é muito afetuoso e grave; tem os olhos expressivos e claros, o que surpreende é que resplandecem no seu rosto como os raios do sol, porém ninguém pode olhar fixo o seu semblante, porque quando resplandece, apavora, e quando ameniza, faz chorar; faz-se amar e é alegre com gravidade.

Diz-se que nunca ninguém o viu rir, mas, antes, chorar. Tem os braços e as mãos muito belos; na palestra, contenta muito, mas o faz raramente e, quando dele se aproxima, verifica-se que é muito modesto na presença e na pessoa. É o mais belo homem que se possa imaginar, muito semelhante a sua Mãe, a qual é de uma rara beleza, não se tendo, jamais, visto por estas partes uma mulher tão bela, porém, se a Majestade Tua, ó César, deseja vê-lo, como no aviso passado escreveste, dai-me ordens, que não faltarei de mandá-lo o mais depressa possível.

De letras, faz-se admirar de toda a cidade de Jerusalém; ele sabe todas as ciências e não e não consta haver estudado nada. Ele caminha descalço e sem coisa alguma na cabeça. Muitos se riem, vendo-o assim, porém em sua presença, falando com ele, tremem e admiram.

Dizem que uma tal homem nunca fora ouvido por estas partes. Em verdade, segundo me dizem os hebreus, não se ouviram, jamais, tais conselhos, de grande doutrina, como ensina este Jesus; muitos judeus o têm como Divino e muitos me querelam, afirmando que é contra a lei de Tua Majestade; eu sou grandemente molestado por estes malignos hebreus.

Diz-se que este Jesus nunca fez mal a quem quer que seja, mas, ao contrário, aqueles que o conhecem e com ele tem praticado, afirmam ter dele recebido grandes benefícios e saúde, porém a tua obediência estou prontíssimo; aquilo que Tua Majestade ordenar será cumprido.

Vale, da Majestade Tua fidelíssimo e obrigadíssimo... Publio Lentulo, presidente da Judéia.

Lindizoione setima, luna seconda. " Inscrição encontrada pelos monges lazaristas" em 1928 numa carta de Publio Lentulo, antecessor de Pôncio Pilatos a Tibério César.


Alguém conhece este documento?
Se positivo, podem comentá-lo.


YouTube - Nova Cedae inaugura ETE Alegria

YouTube - Nova Cedae inaugura ETE Alegria

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

ISRAEL. ESCOLHIDO POR DEUS.



Até o diabo tem direito a advogado
Marcos Guterman

A figura do “advogado do diabo” foi criada pela Igreja Católica no século 16 para contestar os milagres atribuídos aos candidatos a santo nos processos de canonização. Era uma forma de forçar os promotores da causa a provar o que diziam, dando ao resultado final um forte senso de justiça.

Bem, se até o diabo tinha direito a advogado, Israel também deveria ter. Nesse estranho mundo em que vivemos, porém, não é bem assim que funciona.

Pintado como o grande demônio da atual crise no Oriente Médio, Israel, faça o que fizer, será sempre condenado. Mesmo que exponha o absurdo da ambigüidade moral embutida no argumento segundo o qual os israelenses não deveriam responder aos ataques do Hamas, mesmo que sua população no sul do país continue apavorada, mesmo que o Hamas já tenha dado provas suficientes de que, se tivesse meios e oportunidade, liquidaria todos os judeus, mesmo com tudo isso é Israel, e somente Israel, o condenado.

O fato de o Hamas atuar em meio à população civil, justamente para usar as vítimas a favor de sua propaganda asquerosa, não é levado em consideração pela opinião pública mundial, mobilizada pelo fim do “genocídio” dos palestinos. Mas que genocídio? Chamar de “genocídio” a morte de 0,05% de uma população (considerando-se somente Gaza, sem levar em conta os palestinos da Cisjordânia), numa guerra em que ambos os lados estão armados, é uma clara manobra para demonizar Israel. Para efeito de comparação, Darfur, no Sudão, perdeu 7% de sua população no atual conflito, aquele conflito para o qual o mundo reserva apenas indiferença olímpica. Isso sim é genocídio — há a clara intenção de liquidar todo um povo, o que Israel definitivamente não está fazendo nem muito menos pretende fazer. Israel luta contra o Hamas, e não contra os palestinos. No entanto, no tribunal moral montado contra Israel, nada disso é importante.

A situação é tão interessante que Israel não tem nem sequer o direito de ter quem lance dúvidas sobre a “certeza moral” que se formou contra o Estado judeu. Quem experimenta dizer que talvez Israel possa ter alguma razão, ainda que exagere na dose, é imediatamente qualificado de desumano. Quem argumenta que os palestinos estão na situação em que se encontram também por irresponsabilidade de lideranças corruptas e fanáticas é logo rotulado de imperialista. Quem espera que a comunidade internacional atue também para conter os excessos dos grupos militantes palestinos é considerado diversionista. Quem recorda que crianças israelenses foram destroçadas às pencas em atentados palestinos, e que não houve nem uma mísera passeata no mundo condenando esses atos de terror sanguinário, é visto como inconveniente.

Ou seja: Israel é ainda pior que o diabo, porque não pode ter advogados — nem quem chore por suas crianças.

Fonte: Blog do Marcos Guterman

Divulgação: www.juliosevero.com

domingo, 4 de janeiro de 2009

VILA DO CÉU - LANÇAMENTO


LÍ E GOSTEI.
O artigo do colunista Cláudio Vieira do jornal "O Dia": Vila do Céu - Lançamento, me chamou a atenção e resolvi postá-lo para vocês.
" Bispo Martelo parecia petrificado. Permanecia imóvel olhando fixamente pelo postigo que ornava o teto do templo. E cortou o silêncio com sua voz grave:
- Tive uma revelação!
Mais de dois mil fiéis:
- Ohhh!!!
Bispo Martelo fez um intervalo de silêncio, procedendo como se estivesse captando o resto da mensagem:
- Sim. Eu vos digo, irmãos:
vem aí a Vila do Céu!!!
- Aleluia!!!
- Acabo de receber a autorização para vos comunicar um novo lançamento da Obra Divina: a Vila do Céu!!!
- Aleluia!!!
- São casas de dois, três e quatro quartos, com garagem, deck com piscina, churrasqueira, situada numa das regiões mais bonitas do Firmamento, a dois quarteirões do Paraíso!
- Aleluia!!!
- Tudo isso por apenas mil reais de entrada, financiamento de até 30 anos, sem intermediárias. Os interessados podem fazer uma fila aqui em frente à Tesouraria.
Foi um corre-corre. O Bispo esfregava as mãos, comemorando. Sem a menor maldade, uma das obreiras comentou:
- Que bom ver o senhor assim, meu pastor. Tá como o diabo gosta!

Autor: Cláudio Vieira - "O Dia"

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

"GRANDE NEGÓCIO"


Se você espera crescimento de uma igreja na cultura brasileira, é fácil conseguir. Para que tal crescimento aconteça, recomendamos que faça uma pesquisa sociológica e antropológica, do país. Com isso descobriremos que as três maiores religiões que formam a base do país são: catolicismo romano, evangélicos e espiritismo com suas ramificações principais: kardecista, umbanda, candomblé.

Se quiser ir além, sugerimos uma análise histórica e econômica da nossa nação. Quem o fizer, constatará que o Brasil é um dos países com maior desigualdade social do mundo, sendo que apenas 1% da população detém 13% de toda a riqueza do país, e que 50% da população detém apenas 13% da riqueza e os outros 49% da população detém 74% desses recursos. Como todas essas informações podem me ajudar no crescimento da minha igreja? É simples:

Monte uma igreja que consiga reunir as três maiores religiões do país em uma, que use a bíblia dos evangélicos, o sal dos espíritas e a água benta dos católicos. E tem mais: ofereça curas imediatas. Num país com tamanha desigualdade social onde uma pessoa chega a ficar 5hs na fila de um pronto socorro para ser atendida, essa pode ser uma ótima estratégia.

E você não precisa parar por aí: vá além e ofereça emprego, casa própria, carro, empresa, casamento, e tudo isso em nome de “Jesus”. E se você quiser que a sua igreja seja um verdadeiro sucesso, não pregue nada que seja de ordem moral; seja humanista ao máximo e deixe seus “clientes” satisfeitos.

Depois é só esperar para contar os dólares, mas tome cuidado na hora de transportar: evite a cueca ou a bíblia.

Artigo original de Fernando Henrique de Mattos Souza, no blog O Remanescente
Adaptado por Leonardo G. Silva

fonte: Púlpito Cristão

em tempos de crise mundial, é um negócio até viável... =)

ESTE POST ESTÁ DEVIDAMENTE IDENTIFICADO.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

A PROCURA

CONSTRANGEDOR - Irmã, por favor, me ajude, porque ainda não consegui localizar a igreja! - Mas, pastor, o senhor está bem pertinho! Olha, siga duas ruas à frente após o semáforo e desça à esquerda. No quarto cruzamento vire à esquerda e vá para o número 252. - Ah, meu Deus, direita, esquerda, semáforo, irmã, eu vou me atrasar um pouquinho! O pastor estava procurando a igreja Batista da Vila Colônia. Mas a cidade é grande e era a sua primeira vez naquela região. Levou consigo o guia de ruas, mas, por via das dúvidas, deixou o celular ligado. Tentou orientar-se com a secretária da igreja, que era a esposa do pastor local. Mas ele estava tão aflito, que não conseguia nem achar o semáforo. - Segunda, terceira, ah, droga, cadê esse semáforo? Eu vou chegar atrasado! Meu Deus, me ajude! - Calma, pastor, o senhor vai conseguir já, já! - disse a secretária, do outro lado da linha. Subitamente o pastor cruzou a terceira travessa, enquanto falava com a moça. Foi quando tentou cruzar a terceira travessa. Não percebeu que havia um semáforo bem no cruzamento, e o sinal era vermelho. Ele passou. Na rua que cruzava um outro veículo vinha devagar, obedecendo ao sinal verde. Ao perceber o descuido do pastor, acabou brecando violentamente e conseguiu evitar uma tragédia. Bem, evitou a batida, mas a tragédia... Ele esqueceu de desligar o celular. A irmã o chamava: - Pastor, pastor, o que aconteceu?! O outro motorista, que fora cortado, sem saber que o pastor estava perdido, começou a gritar: - Seu imbecil, não viu que o sinal estava vermelho pra você? - Imbecil é a sua mãe, seu palhaço! Eu cruzo no vermelho quantas vezes quiser e ninguém tem nada com isso! Vai encarar? - Olha, não me ameace não, porque você não sabe com quem está mexendo... - Ah, judiação do nenê! Tô morrendo de medo! Vem, vem me pegar, seu sem-vergonha! Vem se você for homem! A secretária, atônita, pensou: - Meu Jesus, e agora? Ele vai apanhar na rua! E o meu marido que não chega... O motorista do outro carro parou e desceu. Tinha um pedaço de pau dentro do carro, que ele tirou com ares de superioridade. O pastor, por sua vez, sangue quente, enfiou a mão por debaixo do banco e tirou o extintor de incêndios. - Ele quer briga? Pois vai ter! - pensou. Ambos estavam na rua. O celular do pastor estava pendurado na cinta. E a secretária já estava rouca de tanto gritar, inutilmente. - Olha aqui, seu barbeiro - falou o outro motorista - É melhor ir andando, se você tiver amor pelos seus filhos. Você está errado e vai apanhar aqui e agora. Assim, saia enquanto é tempo! - Seu cafajeste, pensa que a rua é só sua? Só você sabe guiar? Vem, vem aqui com o papai, que eu te dou um banho de espuma! A secretária já estava roxa de tanto gritar e agora ficava pálida: eles iam brigar! Mas, subitamente, o outro motorista disse: - Quer saber de uma coisa? Você é insignificante demais pra mim. Não vou estragar meu pedaço de pau numa cabeça tão oca quanto a sua. Dá o fora, imbecil! - ahahahah, amarelou, né, palhaço? Pois eu é que não vou gastar o meu extintor num cara que não honra as calças. Vá pro inferno e não cruze mais comigo! - Vá pro inferno você, babaca! Os dois entraram nos seus carros e saíram cantando pneus, quase batendo novamente. Mas foram embora. O pastor parou o carro e começou a xingar: - Cara fdp, v, c, &*()( #$@R%^^^& (palavras intraduzíveis, caríssimo leitor. Qualquer dúvida, pergunte para a secretária, que estava na linha, ouvindo tudo). Então, lembrando-se das conferências da noite, cujo tema era MANSOS COMO CRISTO, parou um pouco, tentou lembrar-se do endereço e tentou ligar pra secretária. Sem aperceber-se que havia linha no aparelho, apertou os botões e disse: - Alô? Já atendeu, irmã? Que rapidez! Ela, escandalizada, envergonhada, decepcionada, sem ter o que dizer, falou: - Desce a segunda à direita e vira à esquerda. Número 252. E rapidamente o pastor chegou à igreja. Estacionou, escolheu o seu melhor sorriso, disse consigo mesmo que aquelas coisas acontecem e são passageiras, desceu do carro e, em lugar do extintor, tomou a bíblia e o hinário. As pessoas, ansiosas por cumprimentarem- no, aproximaram- se. Ele, cortez e cavalheiro, a todos atendeu com carinho. O pastor da igreja, que chegara atrasado, estava ocupado na sala de reuniões e iria entrar no decorrer do culto, para apresentar o pregador. O culto começou. Orações, leituras responsivas, corinhos da equipe de louvores, números especiais, um culto e tanto! O pastor-visitante estava feliz. Então, antes de passarem a palavra para ele, chamaram o pastor da igreja, para que ele fizesse a apresentação. O pastor da igreja não o conhecia pessoalmente, só por fama de bom pregador. Foi quando o pastor entrou, pela porta dos fundos, ao lado da esposa, a secretária da igreja. O pastor visitante estava de costas, falando com um corista. O pastor da igreja olhou para o auditório, olhou para o pastor e ficou mudo. O povo imaginava que ele estivesse escolhendo as palavras para apresentá-lo de forma polida e diplomática. Afinal, ele gostava de honrar os visitantes. Mas o silêncio estava custando a passar, e começava a ser constrangedor. Algumas bagas de suor escorriam pela testa do pastor. O pastor visitante, de repente, sentado onde estava, envermelhou- se e abaixou a cabeça, no maior silêncio também. Agora a igreja estava preocupada. Os adolescentes diziam: -"Aí, meu, da hora esse suspense! Acho que pintou sujeira, saca só!" Um garotinho de dois anos olhou pra mãe e perguntou: - "Mamãe, o pastor usa flaldas também? Ele tá fazendo a mesma cala que eu faço quando tô fazeno cocô" . E a mãe: "Cala a boca, menino!" Um seminarista cutucou a namorada, com ares irônicos, e falou: - Tá vendo, bem? Até ele esquece o esboço de vez em quando. Não sei porque só falam de mim". Silêncio na igreja. Um olhava para o rosto do outro, sem saber o que fazer. O coral fazia gestos ao regente, que os mandava aguardar. Eram duzentas pessoas suando, sem saber nem porquê. E o pastor, no púlpito, começou a chorar. A igreja pensou que ele tivesse recebido uma notícia ruim. Mas, estranhamente, o pastor visitante também, e de soluçar! Um universitário, novo convertido, exclamou: - Poxa, cara, surrealismo pós-moderno! Divino! O choro dos dois, cada um no lugar onde estavam, era tão comovente, que muitos começaram a chorar também, sem terem a mínima idéia do porquê. Um crente pentecostal, que estava alí, arriscou a dizer para os seus colegas de banco: - Aleluia, irmãos, acho que ele recebeu o batismo! Eu sabia! Um dia ia acontecer! Aleluia! O pastor visitante levantou-se e desceu da plataforma, chorando. Realmente comovente. Estava indo embora pelo corredor lateral, quando o pastor da igreja disse, ao microfone: - ESPERE!!! - Pra quê? - Porque somos crentes! Então o pastor visitante estacou, virado de costas. O pastor da igreja começou: - Irmãos, há cerca de uma hora eu e ele quase saímos no tapa no cruzamento da rua de cima, por causa de uma briga de trânsito. Ele iria me dar um banho de extintor de incêndios, e eu iria surrá-lo com um pedaço de pau que guardo no carro. Amados, quando é que eu iria imaginar que esse era o homem que eu havia convidado para pregar aqui na igreja hoje? E o pastor visitante, do corredor, exclamou: - E como eu iria saber que o senhor era o pastor da igreja que eu estava procurando? Voltaram a chorar. Agora a igreja chorava de gosto, porque sabia a razão. Um velho diácono, experiente, sincero, leal e consagrado, tomou a palavra e disse: - Igreja, que sermão melhor poderíamos ouvir sobre ser MANSO COMO CRISTO? Esses pastores, humanos, pecadores, falhos, mostraram para nós tudo quanto não devemos fazer, e certamente muitos de nós fazemos até pior! Nós só não temos coragem de dizer! Mas, se eles pecaram, Jesus é fiel e justo para perdoá-los e purificá-los! E essa é a maior lição! Pastores, vocês são crentes! Lembrem-se do que diz a Bíblia: "irai-vos e não pequeis, não se ponha o sol sobre a vossa ira" (Rm 12.19). Vocês acham que Jesus faria o que vocês fizeram? Ele era manso! Sejam mansos também! E agora façam o favor de se reconciliarem e glorificarem ao Senhor! Vamos, pastores, o que estão esperando? Envergonhados, pálidos, assustados, os pastores saíram de seus lugares e, nas escadas da plataforma, abraçaram-se, pedindo perdão um para o outro, em lágrimas comoventes, que marcaram a vida daquela igreja. Naquele dia o sermão não foi pregado com palavras, mas proclamado com atitudes. Não pelo pecado que cometeram, mas porque aprenderam que pecar custa muito caro. E Deus usou o velho diácono como nunca havia usado. Seja Deus engrandecido. Faz 4 anos que isso aconteceu. E há 4 anos essa igreja não tem mais problemas de ressentimentos ou mágoas, porque, assim que surgem os problemas, são tratados com responsabilidade. Afinal, ninguém quer passar o vexame que os pastores passaram. POIS SENDO RESGATADOS POR UM SÓ SALVADORDEVEMOS SER UNIDOS POR UM MAIS FORTE AMOROLHAR COM SIMPATIA OS ERROS DE UM IRMÃOE TODOS AJUDÁ-LO COM BRANDA COMPAIXÃO SE TUA IGREJA TODA ANDAR EM SANTA UNIÃOENTÃO SERÁ BENDITO O NOME DE "CRISTÃO"ASSIM O QUE PEDISTE EM NÓS SE CUMPRIRÁE TODO O MUNDO INTEIRO A TI CONHECERÁ (hino 381 do Cantor Cristão, AMOR FRATERNAL, segunda e quarta estrofes) Pr. Wagner Antonio de Araújobnovas@uol.com. br 20/04/2002