quinta-feira, 21 de abril de 2011

Mula-sem-cabeça e a Sexta-feira



As versões variam de região para região. Em alguns lugares, a mula-sem-cabeça é a mulher do padre. Em outros lugares, a mulher devassa em geral. É assombração horrorosa que aparece nas noites de lua cheia, às sextas-feiras, ou só na Sexta-Feira Santa. Embora não tenha cabeça, consta que relincha e soluça. É um mistério também como o povo sabe que se trata de uma mula se a dita não tem o que lhe é mais característico - a cabeça. No Dicionário do Folclore, Luiz da Câmara Cascudo diz que a mula desencanta se lhe tirarem o freio (mas não diz onde está o freio). Já Theotônio Pavão diz que o castigo da mula-sem-cabeça desaparece depois de sete anos. Outras versões afirmam que a mula só desencanta se o padre amaldiçoá-la sete vezes, antes de rezar a missa. Mas, se o padre não fizer isso com sinceridade, a hóstia pode sumir na hora da consagração.
Não é bom que coloquemos a nossa fé em coisas que são tradições, pois nada disso funciona.
Apesar de as tradições fazerem parte da vida de um povo, não podem ser levadas a sério, porque só representam contos ou causos contados em rodas de senhores de idade.
Firmemos nossa fé naquilo que vem do alto, o Senhor Jesus nos ensina que ele é o caminho para se chegar à Deus, e só ele.
Sexta-feira Santa está chegando, e com ela a tradição, que deverá ser esquecida pois só alimenta cada vez mais as mentes, de sonhos que não serão realidades.

José Lanes

Nenhum comentário: