domingo, 30 de junho de 2013

"Meus ungidos"

Um pouquinho de Bíblia.
"A ninguém permitiu que os oprimisse;
antes, por amor deles, repreendeu a reis,
dizendo: Não toqueis nos meus ungidos,
nem maltrateis os meus profetas." 1 Crônicas 16:21,22

"Não toqueis nos meus ungidos". Esta frase aparece apenas duas vezes na Bíblia.
Em 1 Cr 16:22 e em Salmos 105:15
É uma citação de Davi dando ênfase ao que o Senhor disse em promessa de aliança a Abraão e de juramento que fez a Isaque.
Logo "meus ungidos" tem a ver com aliança perpétua com Israel quando Deus disse: Dar-vos-ei a terra de Canaã, como quinhão da vossa herança.
Portanto é palavra para o povo de Israel e não para nós, que vivemos na graça por parte do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Leitura: 1 Crônicas 16 e Salmos 105.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Esclerose Múltipla.

Destaque
 
Descoberta de israelenses
ajuda no tratamento
de esclerose múltipla
Pesquisadores da Universidade de Tel Aviv encontraram conexão entre habilidades cognitivas e a massa branca no cérebro, o que pode melhorar o tratamento de esclerose múltipla, paralisia cerebral e algumas doenças psiquiátricas. A descoberta pode ajudar a corresponder terapias com as áreas afetadas do cérebro. A massa branca, que liga as várias áreas do cérebro, é constituída por componentes que transmitem sinais elétricos entre as células nervosas. Os pesquisadores da Universidade de Tel Aviv mostraram que existe uma conexão entre os vários tipos de habilidades cognitivas e o grau de densidade de fibras na massa branca.
“Ao contrário de ressonância magnética funcional, que escaneia o cérebro enquanto o indivíduo é solicitado a executar uma tarefa, o novo método nos permite mapear a massa branca do cérebro e ver as suas várias características de acordo com as habilidades cognitivas do sujeito”, explicou Efrat Sasson, que dirigiu o estudo sob a orientação do professor Yaniv Assaf da Escola Sagol de Neurociências da Universidade de Tel Aviv. O estudo será apresentado com outro trabalho no campo durante a anual "Conferência Internacional de Biotecnologia" (Biomed), que acontecerá em Tel Aviv.
Fonte: Revista Shalom

domingo, 23 de junho de 2013

A vingança do Senhor.

Um pouquinho de Bíblia.


"Não castigaria eu essas coisas? diz o Senhor; não me vingaria eu de nação como esta?
Coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra."
Jeremias 5:29,30


Quando se lê o texto acima nos vem à memória os protestos, as passeatas, as manifestações que são organizadas por setores da sociedade.
Por que se fazem tantos protestos.
O texto diz: coisas horrendas estão fazendo na terra; eu adaptaria aqui para: fazendo aqui no Brasil.
Os seus governantes ignoram os clamores populares e continuam fazendo de tudo para tirar a paciência dos jovens e adultos do sério, até culminar com protestos nas praças, ruas e até invasões de próprios públicos.
Culpa de quem?
O senhor adverte a todos. Não castigarei eu estas coisas?
Podem ter certeza de uma coisa; Deus não dormita nem toscaneja. Chegará um hora que dará um basta em tudo isso.
Oremos todos para que o Senhor possa, na sua misericórdia, tirar esses elementos que estão a serviço de satanás do meio dos meninos de bem que estão alimentados da fé em um Brasil maior, moderno, sem corrupção, com escolas e saúde de qualidades, transportes e segurança, que todos nós possamos nos orgulhar de tudo, de todos e, até de seus governantes.

Pense nisso.
Leitura Bíblica: Jeremias, capitulo 5

Ricardo Boechat fala das manisfestações 1 ano antes dos acontecimentos

Projeto que joga político na “malha fina” entra na pauta do Senado | Congresso em Foco

Projeto que joga político na “malha fina” entra na pauta do Senado | Congresso em Foco

sábado, 22 de junho de 2013

Desabafo de uma médica.

Dilma, deixa eu te falar uma coisa! Este ano completo 7 anos de formada pela Universidade Federal Fluminense e desde então, por opção de vida, trabalho no interior. Inclusive hoje, não moro mais num grande centro. Já trabalhei em cada canto... Você não sabe o que eu já vi e vivi, não só como médica, mas como cidadã brasileira. Já tive que comprar remédio com meu dinheiro, porque a mãe da criança só tinha R$ 2,00 para comprar o pão. Por que comprei? Porque não tinha vaga no hospital para internar e eu já tinha usado todos os espaços possíveis (inclusive do corredor!) para internar os mais graves. Você sabe o que é puxadinho? Agora, já viu dentro de enfermaria? Pois é, eu já vi. E muitos. Sabe o que é mãe e filho dormirem na mesma maca porque simplesmente não havia espaço para sequer uma cadeira? Já viu macas tão grudadas, mas tão grudadas, que na hora da visita médica era necessário chamar um por um para o consultório porque era impossível transitar na enfermaria? Já trabalhei num local em que tive que autorizar que o familiar trouxesse comida ( não tinha, ora bolas!) e já trabalhei em outro que lotava na hora do lanche (diga-se refresco ralo com biscoito de péssima qualidade) que era distribuído aos que aguardavam na recepção. Já esperei 12 horas por um simples hemograma. Já perdi o paciente antes de conseguir um mera ultrassonografia. Já vi luva descartável ser reciclada. Já deixei de conseguir vaga em UTI pra doente grave porque eu não tinha um exame complementar que justificasse o pedido. Já fui ambuzando um prematuro de 1Kg (que óbvio, a mãe não tinha feito pré natal!) por 40 Km para vê-lo morrer na porta do hospital sem poder fazer nada. A ambulância não tinha nada...Tem mais, calma! Já tive que escolher direta ou indiretamente quem deveria viver. E morrer...Já ouvi muito desaforo de paciente, revoltando com tanto descaso e que na hora da raiva, desconta no médico, como eu, como meus colegas, na enfermeira, na recepcionista, no segurança, mas nunca em você. Já ouviu alguém dizer na tua cara: meu filho vai morrer e a culpa é tua? Não, né? E a culpa nem era minha, mas era tua, talvez. Ou do teu antecessor. Ou do antecessor dele...Já vi gente morrer! Óbvio, médico sempre vê gente morrendo, mas de apendicite, porque não tinha centro cirúrgico no lugar, nem ambulância pra transferir, nem vaga em outro hospital? Agonizando, de insuficiência respiratória, porque não tinha laringoscópio, não tinha tubo, não tinha respirador? De sepse, porque não tinha antibiótico, não tinha isolamento, não tinha UTI? A gente é preparado pra ver gente morrer, mas não nessas condições. Ah Dilma, você não sabe mesmo o que eu já vi! Mas deixa eu te falar uma coisa: trazer médico de Cuba, de Marte ou de qualquer outro lugar, não vai resolver nada! E você sabe bem disso. Só está tentado enrolar a gente com essa conversa fiada. É tanto descaso, tanta carência, tanto despreparo... As pessoas adoecem pela fome, pela sede, pela falta de saneamento e educação e quando procuram os hospitais, despejam em nós todas as suas frustrações, medos, incertezas... Mas às vezes eu não tenho luva e fio pra fazer uma sutura, o que dirá uma resposta para todo o seu sofrimento! O problema do interior não é falta de médico. É falta de estrutura, de interesse, de vergonha na cara. Na tua cara e dessa corja que te acompanha! Não é só salário que a gente reivindica. Eu não quero ganhar muito num lugar que tenha que fingir que faço medicina. E acho que a maioria dos médicos brasileiros também não. Quer um conselho? Pare de falar besteira em rede nacional e admita: já deu pra vocês! Eu sei que na hora do desespero, a gente apela, mas vamos combinar, você abusou! Se você não sabe ser "presidenta", desculpe-me, mas eu sei ser médica, mas por conta da incompetência de vocês, não estou conseguindo exercer minha função com louvor! Não sei se isso vai chegar até você, mas já valeu pelo desabafo!

Fernanda Melo, médica, moradora e trabalhadora de Cabo Frio, cidade da baixada litorânea do estado do Rio de Janeiro.

- Monica

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Redação Premiada Pela Unesco.

REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA
VENCE CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES.

SERÁ QUE A GLOBO VAI FAZER UMA ENTREVISTA COM ESSA ESTUDANTE ? SERÁ QUE A NOSSA PRESIDENTE VAI LHE DAR ALGUMA CONDECORAÇÃO? ELA IRÁ GANHAR BOLSA DE ESTUDOS ? VAMOS VER...


REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA VENCE CONCURSO DA  UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES

Imperdível para amantes da língua  portuguesa, e claro também para Professores.  
Isso é o que eu chamo de jeito mágico de juntar palavras simples para formar belas frases. 

REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA
VENCE CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES.  

Tema:'Como vencer a pobreza e a desigualdade'
Por Clarice Zeitel Vianna  Silva
UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - RJ


'PÁTRIA MADRASTA  VIL'

Onde já se viu tanto excesso de falta?  
Abundância de inexistência...  
Exagero de escassez...  
Contraditórios?  
Então aí está!  
O novo nome do nosso país!  
Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.  
Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de  escassez de responsabilidade. 
O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de  contradições. 
Há quem diga que 'dos filhos deste solo és mãe gentil', mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe.  
Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil, está mais para madrasta vil. 
A minha mãe não 'tapa o sol com a peneira.' 
Não me daria, por exemplo, um lugar na  universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.
E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir.  
Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação +  liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação  pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa.  
A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a  minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade.  
Uma segue a outra...  
Sem nenhuma contradição! 
É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem!
A mudança que nada muda é só mais uma contradição. 
Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos,  mas não ensinam a pescar. 
E a educação libertadora entra aí.  
O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. 
Não aprendeu o que é ser cidadão. 
Porém,  ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático  do Estado não modificam a estrutura.  
As classes média e alta - tão confortavelmente  situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar  (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)...  
Mas estão elas preparadas para isso? 
Eu  acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de  dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil. 
Afinal, de que serve um governo que não administra?  
De que serve uma mãe que não afaga?  
E, finalmente, de que serve um Homem que não se  posiciona? 
Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um  todo. Sem egoísmo. 
Cada um por todos. 
Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas.  
Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil?  
Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil?  
Ser tratado como cidadão ou excluído?  
Como gente... Ou como bicho?

 
Premiada pela UNESCO, Clarice Zeitel Vianna Silva, 26, estudante que termina Faculdade de Direito da UFRJ em julho, concorreu com outros 50 mil estudantes universitários. Ela acaba de voltar  de Paris, onde recebeu um prêmio da Organização das Nações Unidas  para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO)por uma  redação sobre 'Como vencer a pobreza e a desigualdade.' A redação de Clariceintitulada 'Pátria Madrasta Vil', foi incluída num livro, com outros cem textos selecionados no concurso. A publicação está disponível no site da Biblioteca Virtual da UNESCO.

Por favor, divulguem.   
Aos poucos iremos acordar este "BraSil".

sábado, 15 de junho de 2013

Vangelis - conquest of paradise

UMA DAS TRILHAS SONORAS MAIS BONITAS DOS ÚLTIMOS 100 ANOS.

Um pouquinho de Bíblia.

Um pouquinho de Bíblia.
" Louvai ao Senhor vós todos os gentios,
louvai-o todos os povos.
Porque mui grande é a sua misericórdia para conosco,
e a fidelidade do Senhor subsiste para sempre.
Aleluia!" Salmos, capítulo 117


Este capítulo de Salmos só tem dois versículos, mas é de suma importância para nós que amamos ao Senhor e obedecemos à sua Palavra.
Ele fala que TODOS os povos devem louvar ao Senhor.
Vejam que não há discriminação de ninguém, TODOS os povos devem louvar.
A nós só nos resta obedecer, e, assim, aguardarmos as bênçãos advindas da sua promessa.



Paz a todos.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Seja um bereiano.

Um pouquinho de Bíblia.
"Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos." Mateus 24:24
Amados, vivemos no tempo da enganação, onde muitos querem levar vantagem em tudo; enganado, ludibriando, falsificando textos e colocando-os como se fossem verdadeiros.
É verdade que muitos acreditam, porque não conhecem a verdadeira Palavra de Deus.
A ausência da EBD é um dos fatores da ignorância espiritual do crente neófito, e até mesmo do cristão "cascudo", que pensa que já sabe tudo só porque tem trocentos anos de igreja.
"O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu, te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos." Oséias 4:6
Seja um bereiano, verifique a sua Bíblia, confira, estude, não fique atento somente nas palavras dos que pregam, confiram tudo.
Estamos nos tempos do fim. Cuidado!

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Historinhas tristes.

"Educadores e educados: eis a questão!"
Mauro Wainstock
Jornalista, cronista e editor de livros
Se você tem filhos abaixo dos cinco anos, este texto é para você. Se você é um filho acima desta idade, este artigo também é para você. Mas o bom senso adverte: as linhas a seguir são impróprias para crianças, de todas as idades, afinal, vamos falar sobre músicas e histórias infantis.
De forma geral, elas são, simplesmente, aterrorizantes. No solitário berçário, o início da imaginação. Apesar da positiva intenção, o começo da ilusão. A partir daí, só decepção, mesmo sendo ficção. Cena familiar: o bebê tentando dormir com a canção "Nana neném que a Cuca vai pegar, mamãe foi para a roça e papai foi trabalhar". Deixaram o indefeso sozinho, desesperado, prestes a ser atacado. Buá! Pesadelo assim, nem pensar. Sonhar, só com muita paz, esta não é a maneira eficaz.
Mas tem mais: o que dizer de "Atirei o pau no gato, mas o gato não morreu..."? Tentativa de homicídio frustrada. Deveria ser censurada. E a "Dona Francisca (Chica)", logo ela, admirou-se com o "berrô" de sofrimento da pobre criatura, mas não fez coisa alguma. No mínimo, deveria ter dado uma dura... miau!!!
E por falar em animal, um exemplo magistral: "Boi, boi, boi... boi da cara preta, pega esta criança que tem medo de careta!". Defina como quiser: ameaça, bullying, racismo ou todas as alternativas anteriores. Sem valores. Já na natureza, muita tristeza: "O cravo brigou com a rosa. Ele saiu ferido e a rosa despedaçada". Quanta crueldade, só maldade!
Mas também tem tragédia: "A canoa virou, pois deixaram ela virar (como assim???), foi por causa do (nome da criança) que não soube remar". Conclusão: culpa, incompetência, futuro trauma. Faltou bondade. E o mínimo de solidariedade. Nem o amor escapou: "O anel que tu me destes era vidro e se quebrou... E o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou...". Um simples símbolo na mão estilhaçou o sincero desejo do coração. Humilhação, sem final feliz.
Agora, as historinhas infantis. Doce fantasia, muita covardia. Era uma vez o Pinóquio, que ficou famoso por ser mentiroso. Exemplo do mal, quanta cara de pau! Chegamos a outro ponto: o conto do "Chapeuzinho Vermelho". Não dá para dar desconto, trata-se de um confronto. A ingênua garotinha leva uma cestinha para a sua querida vovozinha. Mas encontra o lobo sedutor; assassinado pelo caçador protetor. Apesar do "Happy end", suspense, crime, violência. Que terror, assustador! E se encurtássemos a versão, deixando a protagonista ser "devorada" pelo abominável ladrão (canibalismo ou pedofilia)? Aí sim, a moral da história seria: não se deve falar com estranhos, principalmente se forem animais. Devastador!
Neste apavorante universo infantil, práticas nocivas são transmitidas inconscientemente, reforçadas repetidamente e consolidadas espantosamente. Francamente! A saudável convivência cede espaço à incoerência, a conscientização se desvencilha da razão, apesar da emoção. E a moral, ideal, não entra na história. Nenhuma vitória! Na inversão de valores, o ensinamento de horrores: um lado obscuro outro sem futuro. Este sim: real, fatal!
No final, a lição: a educação, mais do que diversão, uma importante questão. Exige urgente transformação. Na individualidade, a responsabilidade; na ação coletiva, o presente formador para o amanhã de louvor.
FALE COM O AUTOR: acesse aqui.
SAIBA MAIS SOBRE O AUTOR: acesse aqui.
LEIA OUTROS TEXTOS DO AUTOR: acesse aqui.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Vaso sem água.

Empresa israelense cria vaso
sanitário que não utiliza água
A empresa Paulee CleanTec, de Israel, ocupou posição de destaque na "12º Cúpula Mundial da Higiene", realizada na África do Sul, ao apresentar sua tecnologia de sanitários de última geração, que não utiliza água e não deixa resíduos. O sucesso foi tão grande que diretores da empresa são convidados de honra para a "Cúpula da Higiene/2013", que ocorrerá na Indonésia. A empresa também já recebeu US$ 110 mil da Fundação Bill & Melinda Gates pelo inovador produto. Cerca de 40% das residências, a nível mundial, não têm acesso a saneamento apropriado.

Crédito: Alef News