domingo, 28 de outubro de 2007

180 Anos do O. Nacional

Observatório Nacional completa 180 anosRedação O Estado do Paraná [28/10/2007]
Ronaldo Rogério de Freitas Mourão
Foto: Arquivo/Observatório Nacional
A biblioteca na Igreja Jesuíta no Morro do Castelo (1871) e a sede do Observatório Nacional, em São Cristóvão (1920).
Em 27 de setembro de 1827, a Assembléia Geral Legislativa do Império autorizou ao governo criar um observatório, subordinado ao Ministério do Império, cujas normas fossem determinadas pelos professores da Academia Militar e da Marinha. Um decreto de Dom Pedro I, em 15 de outubro, determinou que o Visconde de São Leopoldo, ministro do Império, iniciasse as atividades de criação do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro, no lugar que se julgar mais apropriado. A nova instituição deveria orientar os estudos geográficos, geodésicos e astronômicos do território nacional e, também, atender às necessidades da navegação.
Este ato de criação é, na realidade, a legalização do Observatório Astronômico, que existia desde 1780, no Morro do Castelo, onde o astrônomo português Bento Sanches da Orta (1739-1825) já havia realizado observações astronômicas e meteorológicas, publicadas nas Memórias da Academia Real das Ciências de Lisboa, em 1797. O principal instrumento deste observatório - um quarto de círculo Sisson - encontra-se atualmente em exposição no Museu de Astronomia e Ciências Afins.
Como o Observatório de Paris, o nosso também funcionou inicialmente sem um diretor. Foi o professor de matemática da Escola Militar, Pedro de Alcântara Bellegarde (1807-1864), quem ficou encarregado do observatório, no torreão da Escola Militar. Em 1843, Bellegarde determinou a posição do cometa 1843I em relação à estrela Aldebarã, com o auxilio do quarto de círculo Sisson.
Mais tarde, em 1845, Jerônimo Francisco Coelho, ministro da Guerra, nomeou para diretor do Observatório o francês Eugênio Fernando Soulier de Sauve (? - 1850). Pelo decreto número 457, de 22 de julho de 1846, criou-se o Imperial Observatório do Rio de Janeiro, com os objetivos de “fazer todas as observações astronômicas e meteorológicas úteis às ciências, em geral, e ao Brasil, em particular, publicar anualmente uma efeméride e formar os alunos da Escola Militar”. Os primeiros instrumentos foram cedidos pelo próprio imperador D. Pedro II, como consta do prefácio das Ephemerides para o ano de 1853, e que possuía no Palácio da Quinta da Boa Vista um observatório - o primeiro de São Cristóvão.
Em 1850, com o falecimento de Soulier de Sauve, assume a direção Antonio Manuel de Mello (1802-1866). Foi o responsavel pela criação e edição dos Anais Meteorológicos e das Efemérides do Imperial Observatório Astronômico do Imperial Observatório.
Em 1870, o francês Emmanuel Liais (1826-1900), convidado para dirigir o Imperial Observatório, só aceitou o cargo após ter sido o Observatório desligado da Escola Militar. Em 1871, o médico Camilo Maria Ferreira Armond (1815-1882), Visconde de Prados, assume a direção do Observatório, por ocasião da viagem de Liais à França. Nesta administração, dois astrônomos são enviados à França para se aperfeiçoarem. Três anos mais tarde, Liais volta da Europa, com diversos novos equipamentos, dentre eles uma luneta Dollond de 25 cm que, ao lado da meridiana de mesma marca, destinada à determinação da hora, seriam os mais importantes instrumentos instalados no Observatório até 1920, apesar de terem sido adquiridos vários outros que permaneceram guardados.
Foi por ocasião da passagem de Vênus pelo disco do Sol, em 1882, quando diversas críticas foram feitas no Parlamento à organização do Observatório, que ocorreu a sua institucionalização. Neste trabalho, coube ao astrônomo belga Luis Cruls (1848-1908), que ocupou a direção em 1886, um importante papel. Além das pesquisas astronômicas, editou os Anais do Imperial Observatório, a Revista do Observatório e o Anuário (única publicação periódica que se edita até hoje).
Toda esta atividade científica foi efetuada num prédio pouco sólido. Desde 1871, Emmanuel Liais havia solicitado ao governo a transferência do Observatório para um local mais conveniente aos fins a que se destinava. No entanto, apesar do interesse de D. Pedro II pela Astronomia, o Imperial Observatório lá ficou instalado. Em 1886, Luís Cruls reiterou o pedido, conseguindo, dois anos mais tarde, que o Parlamento votasse uma verba que permitiu, um ano depois, o início da construção do novo Observatório na Fazenda Santa Cruz. Vários instrumentos foram encomendados: uma equatorial astrofotográfica, doação particular do imperador D. Pedro II (destinada ao mapeamento fotográfico da região do céu que coube ao nosso país), bem como a equatorial Cooke e um grande círculo meridiano Gauthier. Com a proclamação da República, o Observatório passou para o Ministério da Guerra, quando então a idéia da sua mudança para o local escolhido foi posta à margem. Ocorreu a reforma Benjamim Constant. Créditos novos foram concedidos para a transferência. Os anos se passaram sem que a comissão especial constituída para a escolha do terreno se decidisse. Tanto tempo foi gasto que a verba caducou e não foi mais renovada.
Problemas forçaram mudança
Em conseqüência, a equatorial Cooke e a equatorial da Carta do Céu não foram montadas. Como o tubo deste último instrumento era de madeira, acabou destruído pelo cupim e pela chuva que penetrava no galpão (a parte do levantamento da Carta do Céu foi, mais tarde, executada pelos astrônomos argentinos e australianos). A equatorial Cooke quase foi destruída pela ferrugem. Escapou o círculo meridiano Gauthier, instalado provisoriamente numa casa de madeira, tão pequena que era impossível utilizá-lo. Assim, no Morro do Castelo a área era tão limitada que foi impossível aproveitar os novos instrumentos. De fato, por ocasião da passagem do Cometa Halley, as observações foram efetuadas com o instrumento parado, pois o acompanhamento não funcionava.
A necessidade de transferir o Observatório do Morro do Castelo para o novo local deu origem a uma comissão que, depois de estudar diversos locais da cidade, escolheu o Morro de São Januário, em São Cristóvão. Em 11 de agosto de 1911, o Decreto n.º 8.900 desapropriou os terrenos compreendidos entre as ruas General Bruce, General Argolo, Viana (atual General José Cristina) e Senador Alencar, a fim de neles ser instalado o Observatório.
Em 1920, terminou-se a construção do prédio principal do Observatório Nacional, em São Januário, após uma série de contratempos. O projeto arquitetônico é de autoria do astrônomo Mário Rodrigues de Souza (1889-1973) e foi executado pelo engenheiro João Mattos Travassos. A transferência oficial deu-se em 6 de fevereiro de 1921. Para essas novas instalações, foi adquirido o mais moderno instrumental, que se compõe de uma poderosa luneta equatorial Cooke, de 46cm de abertura, onde estão acopladas duas câmaras astrofotográficas Taylor, de 25cm de diâmetro.
Em 1929, o astrônomo Alix Corrêa de Lemos (1877-1957), substituto interino de Morize, iniciou um ousado projeto de construção de um observatório astrométrico e astrofísico - grande sonho de Morize -, que deveria ser instalado fora da cidade do Rio de Janeiro, tendo em vista as condições já na época desfavoráveis para observações mais apuradas. Em 1937, chegou a ser redigido o contrato com a firma alemã Carl Zeiss para que fosse encomendado um telescópio de 1,68 metro, um astrógrafo de 40cm de abertura e Ascorecord destinado as medidas astrométricas do novo observatório. Tal encomenda foi cancelada em virtude da Segunda Guerra. Com readmissão do Brasil à União Astronômica Internacional, em 1961, a idéia de um observatório moderno ressurge das cinzas. Com efeito, na administração de Luiz Muniz Barreto (1925-2006), em 1972, o projeto de instalação de um observatório astrofísico foi aprovado pela Finep, quando então foi encomendado o grande refletor cassegrain-coudé de 1,60m, principal instrumento instalado em Brasópolis (Minas Gerais), em 1981, que deu origem ao Laboratório Nacional de Astrofísica. Importantes contribuições têm sido realizadas em astronomia, astrofísica, cosmologia e geofísica, graças aos jovens pesquisadores que, em conseqüência da renovação de mentalidade universitária, é atualmente constituída por engenheiros, geofísicos, físicos, matemáticos e astrônomos, dirigidos pelo geofísico Sérgio Luiz Fontes. (RRFM)
Ronaldo Rogério de Freitas Mourão é astrônomo, fundador e primeiro diretor do Museu de Astronomia e Ciências Afins. É autor de mais de 85 livros, entre outros do “O Livro de Ouro do Universo”.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

SEITA QUER CLONAR JESUS

Seita quer clonar JesusPor Natanael RinaldiUma seita denominada A Second Coming (Segunda Vinda) pretende fazer uma clonagem do Senhor Jesus Cristo para o dia 25 de dezembro deste ano. A notícia foi transmitida pelo apresentador do Fantástico – Rede Globo, Pedro Bial, que encerra a matéria com a irônica pergunta: Piada, delírio ou alucinação?O site da A Second Coming na Internet concita as pessoas a participar dessa loucura por meio do apelo: Não desobedeça a Bíblia! Mande sua contribuição. Será que você, querido leitor, estaria disposto a atender tal pedido?Anelo pela segunda vinda de CristoA justificativa apresentada pela A Second Coming para a sua pretensão de clonar Jesus (achando que com isso estará apressando a segunda vinda do Salvador, conforme prometida em Mateus 24 e 25) é declarada nos seguintes termos: não podemos esperar futilmente pela volta de Jesus apenas com orações e esperança. Temos tecnologia para trazê-lo agora mesmo, e não há razão moral, bíblica ou legal para não aproveitarmos isto; para salvar o mundo do pecado, devemos clonar Jesus para iniciar a Segunda Vinda de Cristo (o grifo é nosso).Ora, sabemos que não é de agora que existem certos grupos religiosos que pretendem, de uma forma ou de outra, apressar a vinda de Jesus. Por meio de cálculos cronológicos, algumas religiões chegaram ao cúmulo de marcar várias datas para esse auspicioso acontecimento tão aguardado por nós, os salvos, e declarado por Paulo como a bem-aventurada esperança (Tt 2.13).Um dos exemplos de religiões pseudoproféticas, cujos líderes se pronunciaram a respeito da segunda vinda de Cristo, são as Testemunhas de Jeová. Seus adeptos dizem de si mesmos: As Testemunhas de Jeová, devido ao seu anseio pela segunda vinda de Jesus, sugeriram datas que se mostraram incorretas. Por isso, há quem as chame de falsos profetas (Despertai! – 22 de março de 1993, p. 4).As TJs profetizam falsamente e iludem suas vítimas ao sugerirem datas para o advento da segunda vinda de Cristo. Anunciaram que findariam seu trabalho de pregação de porta em porta no século vinte. Este século terminou no dia 31 de dezembro de 2000. E agora?!Essa, no entanto, não foi a única vez que seus adeptos predisseram enganosamente a segunda vinda de Jesus. Isso se deu em 1914, 1925, 1941 e 1975. Tais predições, para eles, se tornaram habituais, por assim dizer.Todavia, não podemos negar que a seita A Second Coming foi além de todos os absurdos cometidos pelas falsas religiões ao declarar sua pretensão de clonar o Filho de Deus, o Salvador do mundo, e anunciar a segunda vinda de Cristo para 25 de dezembro de 2001.

CABRAL DEFENDE ABORTO


Cabral defende a legalização do aborto Segundo ele, mães pobres têm dificuldades para criar filhos e muitos acabam caindo na criminalidade Rio - O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, defendeu nesta quarta-feira a legalização do aborto. A defesa foi feita quando ele comentava a violência na capital fluminense. Segundo o governador, as mães pobres têm dificuldades para criar os filhos e muitos deles acabam caindo na criminalidade. Cabral disse que toda mulher deveria ter o direito de interromper uma gravidez indesejada.
PARA QUEM DEFENDE COM TANTO ARDOR OS IDOSOS, NÃO VAI DEMORAR MUITO E NÃO TERÁ MAIS COM QUEM SE PREOCUPAR. OS ABORTADOS DE HOJE SERIAM OS IDOSOS DE AMANHÃ. PARECE DIFÍCIL DE SE ACREDITAR, MAS É VERDADE.
E, ELE NÃO ESTÁ SOZINHO, O "BISPO" MACEDO TAMBÉM DEFENDE O ABORTO, E, PIOR, DIZ QUE A BÍBLIA É A FAVOR. DEMONSTRA QUE NÃO CONHECE NADINHA DE BÍBLIA. NÃO TEM LUGAR NENHUM NA BÍBLIA QUE TENHA REFERÊNCIA QUE SE POSSA DIZER QUE ELA AUTORIZE ESSE TIPO DE CRIME. OS DOIS SÃO CRIMINOSOS EM POTENCIAL.

domingo, 21 de outubro de 2007

AS DESCULPAS DE UM PRÊMIO NOBEL

O geneticista americano James Watson, co-descobridor da estrutura do DNA, pediu desculpas por declarações racistas dadas a um jornal britânico, que despertaram uma enxurrada de críticas no mundo inteiro. Em entrevista nesta semana ao “Sunday Times”, ele disse ser “inerentemente pessimista em relação ao futuro da África porque todas as nossas políticas sociais são baseadas no fato de que a inteligência deles é igual à nossa -quando todos os testes dizem que não é bem assim”. Watson escreveu um artigo para o jornal “The Independent” dizendo ter sido mal interpretado. “Àqueles que inferiram das minhas palavras que a África enquanto continente é de alguma forma geneticamente inferior, só posso me desculpar sem reservas”. No entanto, o cientista, de 79 anos, insistiu que questionar as bases genéticas da inteligência “não é ceder ao racismo”.

ENSINO RELIGIOSO NAS ESCOLAS

O ensino religioso na escola:opção ou imposição?
Abraham Goldstein, presidente da B´nai B´rith do BrasilTexto de Lia Bergmann
O ensino confessional na escola pública é um problema muito sério e não pode ser acolhido por uma nação que se pretende democrática e pluralista. A opção religiosa cabe à família e aos pais compete educar seus filhos dentro da fé escolhida. Há também a opção por escolas particulares: judaicas, muçulmanas, católicas, luteranas, batistas, presbiterianas, anglicanas e de diversas matizes. No entanto, a escola, seja pública ou particular, tem, isto sim, o dever de ensinar o respeito às diversas tradições e crenças religiosas, sem priorizar nenhuma. O ensino não pode ser um fator multiplicador do preconceito e da discriminação. Infelizmente, estamos muito longe disso. Na Conferência Nacional de Políticas de Igualdade Racial, realizada em Brasília, onde a B´nai B´rith do Brasil participou junto com a delegação da comunidade judaica coordenada pela CONIB, uma das constatações mais recorrentes foi a de que em muitos lugares deste Brasil, o aluno que professa uma religião de matriz africana não pode sequer mencionar este fato em classe, pois é discriminado não apenas pelos colegas, mas pelo professor e pela instituição que deveria ensinar o respeito ao próximo.
"O Brasil tem uma das legislações e instituições maisavançadas do mundo contra o racismo e a intolerânciareligiosa. Resta colocá-las em prática no cotidiano"
Muitas religiões milenares não crêem em Deus da forma como é concebido pelas religiões monoteístas: judaísmo, cristianismo e islamismo. O budismo, por exemplo, não tem a visão de Deus adotada pelo Ocidente; as religiões de matriz-africana têm um panteão de deuses. Não nos cabe julgá-las ou escamoteá-las, sejam religiões majoritárias ou minoritárias dentro da população brasileira. Como judeus sabemos muito bem o que é a discriminação étnica e religiosa. Como lembra sempre o ex-Secretário da Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, Dr. Hédio Silva Jr, a liberdade religiosa no Brasil é uma conquista recente.Um país onde os cristãos novos (judeus convertidos à força pelo catolicismo) sofreram durante quase quatro séculos perseguições e humilhações que chegaram a levar diversos brasileiros à fogueira da Inquisição, inclusive paulistas; um país que teve séculos de escravidão, arrancando os negros de diversas regiões do continente africano, afastando-os de suas tradições e costumes, e onde ainda hoje terreiros são invadidos por conta do fanatismo religioso, sabe que tem um longo caminho a percorrer. O Brasil tem uma das legislações e instituições mais avançadas do mundo contra o racismo e a intolerância religiosa. Resta colocá-las em prática no cotidiano. Nisto a escola possui um papel de fundamental importância, como elemento de conscientização da diversidade, propulsor do conhecimento das diversas religiões e da existência do sagrado em suas diversas manifestações, sem juízo de valor.

OS SEGREDOS DO ALHO

Pesquisa desvenda segredo do alhoAgência Fapesp [21/10/2007]
Foto: Ciciro Back
Diferentes culturas já utilizam alho como remédio há séculos.São Paulo - Há vários séculos, diferentes culturas têm observado que o consumo de alho é bom para a saúde, especialmente por estar relacionado à redução dos riscos de doenças cardiovasculares. Mas, até agora, a ciência não tinha muito a dizer sobre os mecanismos de ação e os princípios ativos por trás dessas propriedades.
Um grupo de pesquisadores norte-americanos acaba de descobrir, no entanto, que os compostos polissulfídeos derivados do alho digerido são processados pelas hemácias (glóbulos vermelhos do sangue), transformando-se no mensageiro celular sulfeto de hidrogênio (H2S), que relaxa os vasos sangüíneos e aumenta o fluxo sangüíneo.
De acordo com a coordenadora da equipe, Gloria Benavides, da Universidade do Alabama, ingerir alho provavelmente aumenta o suprimento natural de sulfito de hidrogênio no organismo. O estudo será publicado esta semana no site e em breve na edição impressa da revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).
Para realizar a pesquisa, os cientistas extraíram suco de alho do tipo comumente encontrado em supermercados e o adicionaram em quantidades diminutas a hemácias humanas. As células imediatamente começaram a emitir H2S. O sulfeto de hidrogênio, embora seja venenoso em altas concentrações, é essencial, em baixos níveis, para a sinalização celular.
Experimentos posteriores determinaram que a reação química chave aconteceu principalmente nas membranas dos glóbulos vermelhos, embora uma fração do H2S tenha sido também produzida dentro das células. “Achamos que a produção de H2S desses polissulfídeos orgânicos derivados do alho fornece a base para os efeitos benéficos de longo prazo obtidos pelo consumo habitual da planta”, destacou o estudo.
A produção de H2S foi medida em tempo real por um novo sensor polarográfico. Segundo os pesquisadores, a produção de H2S de polissulfídeos orgânicos é facilitada pela presença de compostos de alil e pelo aumento do número de átomos de enxofre. Poucas plantas além do alho possuem compostos de alil e enxofre - e o alho é a única comestível.
De acordo com os autores do trabalho, numerosos estudos destacam os efeitos benéficos de uma dieta rica em alho contra a progressão de doenças cardiovasculares. Mas também há uma série de estudos que indicam a ausência de efeito em suplementos alimentares à base de alho. Por conta disso, os pesquisadores sugerem que a produção de H2S nos glóbulos vermelhos poderia ser usada para padronizar suplementos dietéticos de alho

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

AZEITE É BOM ...

Estudo: azeite de oliva reduz efeitos das gorduras
Espanha - Um novo estudo sobre o azeite de oliva mostra que o consumo da substância reduz a morte celular e a inflamação vascular que ocorre no organismo após a ingestão de gorduras e reitera os efeitos benéficos do produto para a saúde humana.
A pesquisa, realizada por uma equipe do Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC, na sigla em espanhol) da Espanha, mostrou "in vitro" que o azeite de oliva minimiza a morte celular que ocorre depois da absorção de gorduras no corpo humano, na fase da digestão.
Além disso, o experimento reitera que o azeite de oliva reduz a resposta vascular inflamatória que também ocorre após a absorção de gorduras na etapa digestiva. Os resultados da pesquisa poderiam explicar casos de transtornos cardiovasculares em pessoas pouco propensas a sofrer do problema, segundo o diretor do estudo, Francisco Muriana.
As informações são da EFE

FEZES COMO COMBUSTÍVEL

ONG quer converter fezes humanas em combustível
Índia - O especialista indiano Bindeshwar Pathak, fundador da Organização Internacional de Serviço Social Sulabh, realizou uma pesquisa e afirma que um sistema barato de transformação de dejetos humanos em combustível e em fertilizante pode permitir o acesso a sanitários a 2,6 bilhões de pessoas e reduzir o aquecimento global.
Segundo ele, o grupo planeja apresentar um sistema no 70º Encontro Sanitário Mundial, que será realizado em Nova Délhi, no final do mês. A organização se dedica ao fornecimento de acesso sanitário a aproximadamente 730 milhões de pessoas na Índia.
Ele disse que a contribuição indiana será um banheiro que transforma as fezes em combustível, que pode fornecer gás para cozinha e eletricidade, além de converter urina em fertilizante

MICRÓBIO MATA MAIS QUE AIDS

Estudo diz que micróbio pode matar mais que a aids
EUA - Um germe resistente aos remédios se propaga mais rápido do que se achava nos Estados Unidos e poderá causar mais mortes que a aids, indicou um estudo dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) publicado nesta quarta-feira pela revista Journal of the Medical Association.
O micróbio, uma cepa do Staphylococcus aureus resistente aos antibióticos, causa a cada ano mais de 94 mil infecções graves e quase 19 mil mortes, segundo o estudo. Na maioria dos casos, são infecções na corrente sangüínea.
O germe, transmitido por simples contato, transforma as infecções cutâneas menores em problemas graves de saúde. Há casos de necrose, produzindo uma eliminação do tecido devido à morte celular.
A infecção pode ser resolvida rapidamente com antibióticos. Mas em alguns casos o micróbio entra nos pulmões e provoca pneumonia ou se estende aos ossos, órgãos vitais e ao sangue.
Cisneitstas dizem que se todas as infecções estiverem vinculadas ao Staphylococcus aureus, o total superaria as mortes provocadas pelo vírus da aids, que em 2005 matou 17.011 pessoas.
As informações são da EFE

BUSH CONTINUA ARMANDO

Após encontro com Dalai Lama, Bush alerta para III Guerra Mundial
EUA - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, advertiu nesta quarta-feira à comunidade internacional que, para evitar uma III Guerra Mundial, é preciso evitar que o Irã "tenha acesso à tecnologia para fabricar armas nucleares". Em entrevista coletiva convocada esta mesma manhã, o líder também se opôs a uma incursão turca no norte do Iraque, algo que, na sua opinião, "não é do interesse de Ancara".
Além das questões domésticas, Bush falou ainda sobre outros assuntos, como a visita a Washington do Dalai Lama, a situação nos territórios palestinos e a possível operação militar da Turquia no Iraque. A este respeito, o presidente disse que Washington não acredita ser do interesse da Turquia enviar tropas ao Iraque.
As palavras do presidente americano coincidiram com a autorização do Parlamento turco ao Governo para o lançamento de operações militares contra as bases dos guerrilheiros do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte do Iraque.
Em relação ao Dalai Lama e às críticas de Pequim à sua recepção em Washington, Bush pediu à China que se reúna com o líder tibetano. "Caso as autoridades se sentassem com ele, se dariam conta de que é um homem pacífico e de conciliação", acrescentou o presidente americano.

terça-feira, 16 de outubro de 2007

CLONAGEM DE JESUS

Seita quer clonar JesusPor Natanael RinaldiUma seita denominada A Second Coming (Segunda Vinda) pretende fazer uma clonagem do Senhor Jesus Cristo para o dia 25 de dezembro deste ano. A notícia foi transmitida pelo apresentador do Fantástico – Rede Globo, Pedro Bial, que encerra a matéria com a irônica pergunta: Piada, delírio ou alucinação?O site da A Second Coming na Internet concita as pessoas a participar dessa loucura por meio do apelo: Não desobedeça a Bíblia! Mande sua contribuição. Será que você, querido leitor, estaria disposto a atender tal pedido?Anelo pela segunda vinda de CristoA justificativa apresentada pela A Second Coming para a sua pretensão de clonar Jesus (achando que com isso estará apressando a segunda vinda do Salvador, conforme prometida em Mateus 24 e 25) é declarada nos seguintes termos: não podemos esperar futilmente pela volta de Jesus apenas com orações e esperança. Temos tecnologia para trazê-lo agora mesmo, e não há razão moral, bíblica ou legal para não aproveitarmos isto; para salvar o mundo do pecado, devemos clonar Jesus para iniciar a Segunda Vinda de Cristo (o grifo é nosso).Ora, sabemos que não é de agora que existem certos grupos religiosos que pretendem, de uma forma ou de outra, apressar a vinda de Jesus. Por meio de cálculos cronológicos, algumas religiões chegaram ao cúmulo de marcar várias datas para esse auspicioso acontecimento tão aguardado por nós, os salvos, e declarado por Paulo como a bem-aventurada esperança (Tt 2.13).Um dos exemplos de religiões pseudoproféticas, cujos líderes se pronunciaram a respeito da segunda vinda de Cristo, são as Testemunhas de Jeová. Seus adeptos dizem de si mesmos: As Testemunhas de Jeová, devido ao seu anseio pela segunda vinda de Jesus, sugeriram datas que se mostraram incorretas. Por isso, há quem as chame de falsos profetas (Despertai! – 22 de março de 1993, p. 4).As TJs profetizam falsamente e iludem suas vítimas ao sugerirem datas para o advento da segunda vinda de Cristo. Anunciaram que findariam seu trabalho de pregação de porta em porta no século vinte. Este século terminou no dia 31 de dezembro de 2000. E agora?!Essa, no entanto, não foi a única vez que seus adeptos predisseram enganosamente a segunda vinda de Jesus. Isso se deu em 1914, 1925, 1941 e 1975. Tais predições, para eles, se tornaram habituais, por assim dizer.Todavia, não podemos negar que a seita A Second Coming foi além de todos os absurdos cometidos pelas falsas religiões ao declarar sua pretensão de clonar o Filho de Deus, o Salvador do mundo, e anunciar a segunda vinda de Cristo para 25 de dezembro de 2001.

DEFICIÊNCIAS

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana (escritor gaúcho 30/07/1906 -05/05/1994 ).> "Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.> "Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.> "Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.> "Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.> "Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.> "Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.> "Diabético" é quem não consegue ser doce.> "Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:> "Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.>

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

DR. ROSINHA E O PT.


Desigualdades
Opinando sobre papel do PT no Brasil pós-Lula, o deputado federal Dr. Rosinha disse: "Enxergamos o Partido dos Trabalhadores como um instrumento fundamental para a redução das desigualdades sociais e para a transformação da sociedade brasileira".
TODOS NÓS LEMBRAMOS MUITO BEM DESSA TURMA AÍ DE CIMA!

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

NOBEL DE MEDICINA


“Nobel de Medicina” ésobrevivente do Holocausto
O italiano naturalizado americano Mario R. Capecchi, de 70 anos, um dos vencedores do Nobel de medicina deste ano, coroa uma vida marcada pela superação. Com apenas quatro anos, ele foi separado de sua mãe - levada pelos nazistas para o campo de concentração de Dachau. A partir daí, ele teve de viver em orfanatos ou como menino de rua, "a maior parte do tempo passando fome".A desnutrição acabou fazendo com que ele fosse parar num hospital, onde sua mãe finalmente o reencontrou quando ele tinha nove anos. Duas semanas depois, os dois partiram para os EUA, onde ele freqüentou a escola pela primeira vez. Entrou direto na terceira série, embora não soubesse inglês.Capecchi dividiu o prêmio deste ano com o britânico naturalizado americano Oliver Smithies, da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, e com Martin J. Evans, britânico da Universidade de Cardiff. O trabalho do trio possibilitou o surgimento da técnica de "nocaute" de genes, que permite monitorar sua função no organismo de cobaias. O sistema ajuda a simular doenças humanas em camundongos e, assim, aprender exatamente quais as mudanças que elas causam no organismo

terça-feira, 9 de outubro de 2007

FENÔMENO DO NOBEL É DE BRASILEIRO

Físico brasileiro descobriu fenômeno do Nobel
Porto Alegre - O professor e pesquisador do Instituto de Física da UFRGS, Mario Baibich, estava na França, em 1988, e foi pioneiro nas medições que levaram ao efeito da magnetorresistência gigante, premiado com o Nobel de Física deste ano, e que foi a base para a criação de leitores de gravação utilizados em discos rígidos acima de 1.8 GB e de transistores metálicos que não aquecem e são cem vezes menores que os baseados em semicondutores.
Baibich trabalhava no laboratório de Alan Fert, na Universidade Paris-Sul, e o assunto foi sua tese de pós-doutorado. Um dos ganhadores do prêmio Nobel de Física de 2007, Fert foi o orientador da tese de Baibich.
O primeiro artigo sobreo fênomeno, publicado em uma edição da Physical Review Letters foi assinado por Baibich como autor principal. Ele contou, em entrevista no site do Instituto de Física da Universidade, que a magnetorresistência gigante começou a ser aplicada comercialmente em 1994, como sensor para sistemas de freio na indústria automobilística.
A comercialização da tecnologia acontece principalmente em leitores de gravação. A Comunidade Européia montou equipes de pesquisa para aprofundar os estudos de possíveis aplicações.
A tecnologia, segundo contou Baibich, é muito simples, e as aplicações vão além das memórias de computador, avançando para a biomedicina e estudos de DNA. Redação Terra